Emoções & Sentimentos


VITROLA 2020

VITROLA 2020
Sessenta e tantos.

Quem tem mais de sessenta, assim como eu,  e que é amante do som do vinil, deve ter iniciado a sua discotecagem em uma vitrola semelhante a esta cuja foto ilustra esta matéria.

Tempo em que nossas mensagens eram trocadas no tête-à-tête e, quase sempre acompanhada de boa música. 

Comunicação à distância? Só através de carta. O telefone criação de Graham Bell do século 19, ainda não havia se popularizado aqui no Brasil em 1917, quando o Samba "Pelo Telefone" foi lançado. Foi através da boa e velha vitrola, uma  das primeiras formas de entretenimento caseiro, e outra invenção que também contou com a contribuição do cientista Graham Bell, que o povo da periferia ficou sabendo que na carioca tinha uma roleta para se jogar. Ela não apenas mudou a forma de se ouvir música como possibilitou o desenvolvimento da indústria fonográfica.

No final da década de 80 e início dos anos 90 com a chegada do CD, sendo a gravação da música “Garota de Ipanema”, por Nara Leão, o primeiro lançamento no país,  a popularização do telefone celular,  a possibilidade de compactar arquivos de áudio para o formato mp3 e ainda com o surgimento de novos equipamentos; controladoras, serato, virtual Dj entre outros, causaram novo reboliço no mercado fonografico e mudaram mais uma vez a nossa forma de ouvir, colecionar e compartilhar músicas.

Mesmo com toda essa evolução, o verdadeiro discotecário continua em alta, mesmo com a facilidade em ter e transportar em um simples HD, centenas de pastas e milhares de arquivos sonoros, somente àqueles que possuem as qualidades  "sine qua non", (Sensibilidade e Entendimento) é possível provocar, nos ouvintes, emoções & sentimentos através das músicas.