Emoções & Sentimentos


Estranhou o que?

11/07/2018 23:49

”Estranhou o que? Preto pode ter o mesmo que você...”.

Pensando um pouco sobre a música composta por Moacir Luz, "Estranhou o que". Ainda tem muita gente estranhando e, o que é pior, desacreditando do potencial da população afrodescendente, no sentido exigir e consumir produtos específicos.

"Preto pega surf, pega praia, preto pega jacaré

Preto vê vitrine, olha o magazine, compra se quiser.

Preto põe sapato, usa pé de pato, pq tem os pés

come sashimi, bebe champangne e também tem rolex"

 

A música lança um importante questionamento inclusive para empresários que fingem não enxergar esses consumidores, não sei se por incompetência, preconceito ou egoísmo. A verdade é que, deixam de aproveitar, como deveriam esse nixo.

"Estranhou o que? 

Preto pode ter o mesmo que você

Estranhou o que?

Preto pode ter o mesmo que você"

No Brasil mais de 50% da população é formada por negros e pardos. São consumidores de longa data, no país e com o aumento, do poder de compra registrado na última década a “nova classe média” é predominantemente negra, parte desta população, hoje frequenta espaços sociais que anteriormente eram inacessíveis para eles, são shoppings, restaurantes, hotéis, academias, realizam turismo nacional e internacional.

"Preto joga charme, come carne, preto roda de Chofer
Anda de avião, craque de Gamão, troca de talher
Preto lê exame, férias em Miami, premio molière 
pede uma suíte, roupa de boutique, preto da role"

Isso tem que ficar claro, inclusive para os anunciantes, desta forma os eventos realizados e direcionados à população afrodescendentes terão patrocínio  e o apoio necessário.

Segundo pesquisas, realisadas em 2017 estima-se que, só na capital paulista, os afro-brasileiros assalariados movimentam mais de R$ 3,2 bilhões ao ano. 

 

—————

Voltar